terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Desafio


“E veio-lhe então a ideia de que seria injuriar a mulher recusar esta oferenda, recusar esta terna atenção”

Milan Kundera, in "O livro dos amores risíveis”, Publicações Dom Quixote, pag. 161

porque o que te dou já era teu no início dos tempos. como uma dádiva de imortalidade. magma que tem que explodir e eternizar-se, sólido. a recusa é o arrancar das raízes, o destruir das origens. aceita o que te está destinado.


foto de Fritz Fabert

[resposta ao desafio do PAS[Ç]SOS com um pequeno acrescento meu. fica para quem quiser dar seguimento.]

12 comentários:

  1. A frase escolhida foi criteriosa, mas o acrescento é divinal. Aliás como seria de esperar de um blog com a qualidade do teu.

    ResponderEliminar
  2. mariab

    Obrigado pela resposta ao desafio, mas sobretudo obrigado pelo 'superior' acrescento. Sinto-me, francamente, deleitado pela forma de responder. "recusar é arrancar as raízes, destruir as origens"... como o sinto verdadeiro!

    ResponderEliminar
  3. Olha... gostei da tua resposta ao desafio...

    :)))

    ResponderEliminar
  4. Um poema-prosa a la Francis Ponge!

    Muito bom, querida Mariab.
    Encantado, sempre.

    Um carinho.
    Continuemos...

    ResponderEliminar
  5. Fantastico!
    Para mim dias especiais são aqueles que compartilhamos com pessoas que nos fazem bem... por isso estou aqui. Junto de Ti meu dia ganha muito mais cor!
    Obrigada por sua amizade, carinho e presença em meu blog.
    Um beijo carinhoso

    ResponderEliminar
  6. é muito bom o que leio neste blog, de alto a baixo, assim como a escolha das fotografias.

    bom fim de semana

    ResponderEliminar
  7. O texto escolhido foi excente. O que acrescentou é lindíssimo. "Porque o que te dou já era teu no início dos tempos..."
    Um beijo.

    ResponderEliminar

Aqui disse de mim. Diz tu também...