quarta-feira, 14 de janeiro de 2009




silêncio seria fácil. se não me rasgassem os pés os longos caminhos de pedras e sangue. farrapos de vida e almas estranguladas no chão das árvores milenárias. punhais secos nos olhos das mulheres. feridas abertas na pele dos sorrisos. e a luz de mil velas acesas pelos (sonhos) mortos. clamores e caladas orações. a que deus(es)? a que distraídos deuses?



só a luz magoada nos olhos da criança. mas luz, ainda. pálida. pequena chama voando no vento...


fotos da net

12 comentários:

  1. esperemos que o vento tenha consistência.

    ResponderEliminar
  2. Mariab,

    obrigada pela partilha deste teu lamento.


    A que Deuses deveremos orar, perguntas bem...ao Deus do perdão?

    ResponderEliminar
  3. texto de revolta magoada.

    gostei muito

    beijos

    ResponderEliminar
  4. uma pergunta: como vc chegou ao "da natureza..."? é um blog recente, pouco visitado. quase sempre, quem aparece, assim o faz lá pelo vomitando.

    ResponderEliminar
  5. Silêncio seria fácil, mas é preciso dizer. E você disse com toda a profundidade de seus sentimentos, de modo que todo o meu ser "chorou".

    A literatura tem esse poder de educar as nossas emoções e valores. Você, Mariab, nos oferece uma aula de humanidade. Parabéns!

    Forte abraço,

    H.F.

    ResponderEliminar
  6. obrigada a todos pela presença e pela leitura. beijos

    ResponderEliminar
  7. nada é fácil.



    nem o silêncio é fácil!



    beijo.

    ResponderEliminar

Aqui disse de mim. Diz tu também...